quarta-feira, 15 de junho de 2011

O relógio da madrugada



É madrugada! Insone: pra lá... pra cá!
Entre um ponteiro e outro:
eternidades vão se passando...

Clara Dawn
2

2 comentários:

  1. Bem sei eu o que é isso! Insone crônico eu, aproveito para produzir crônicas e poesia na madrugada. Expressar o que vai em mim, e pede para ser libertado. Palavras são cruzes pesadas demais, às vezes.

    ResponderExcluir
  2. Que bom perder o sono e ganhar a poesia!

    ResponderExcluir

Grata pelo seu comentário. Volte sempre.